A grande questão que envolve estudantes num geral, sem distinção de nível em que se encontre no momento é achar aplicabilidade prática para aquilo que aprende em sala de aula. No nosso caso era encontrar uma aplicação que pudesse mudar nossa realidade. Observávamos que ao longo da nossa graduação certos tipos de conteúdo, certas abordagens temáticas e certos trechos da história nos era contado por um olhar que não era o nosso. A história, na maior parte das vezes, é contada pelos olhos do dominador, pelos interesses do dominador e para ampliar sua dominação. Na comunicação não é diferente, o que é visto, o que é mostrado e o que é colocado em pauta faz parte de uma ação que prevê a manutenção de privilégios, existentes desde muito tempo.

Observem que até agora nem tocamos no ponto da principal questão que envolve nosso Blog OBIRIN: a questão racial. Por que não apenas a questão racial é colocada a margem social, várias outras lutas e batalhas por direitos são silenciadas nos grandes veículos de comunicação. Nós do OBIRIN percebemos isso, percebemos o quanto a nossa demanda, a demanda negra é sub representada nos espaços que estudamos. Como estudantes de comunicação, do curso de Rádio, TV e Internet pudemos notar que nossas pautas são deixadas de lado, que nossa história não é contada por nós, que a grande massa da sociedade não sabe das nossas lutas, que somos praticamente invisíveis e estamos mergulhados no mais perverso tipo de racismo, aquele que não é assumido, aquele que é velado, aquele que é mascarado pela Democracia Racial.

Quantas vezes vocês ouviram falar na TV ou no rádio sobre a saúde da mulher negra? Quando ouviram falar do assassinato da juventude negra? Quando ouviram que a maior parte da população carcerária brasileira é formada por negros? Quando você viu que o número de negros em cargos de chefia é mínimo em relação ao número total de negros no Brasil? E nas Universidades, tem negros? E as cotas, quantas vezes vocês viram sendo realmente debatidas? E a cultura, quem já viu uma verdadeira representação da cultura negra, fora do carnaval ou do mês da consciência negra? Você já ouviu falar que a Globo em toda sua história de novelas teve apenas três personagens negras como centrais e nenhum negro como protagonista? Você já ouviu alguém de religião de matriz africana com espaço na mídia?

A resposta para todas essas perguntas está na nossa frente, mas na maioria das vezes nem percebemos. Por isso resolvemos criar a plataforma OBIRIN. Para tirar esses temas debaixo do tapete. Nós negros precisamos ser os protagonistas da nossa própria história. Precisamos deixar o registro dos nossos feitos, da nossa cultura e das nossas lutas. OBIRIN é um espaço coletivo de discussão de todos os temas que permeiam a população negra. Produzindo vídeos, áudios e textos esperamos suprir um pouco de uma demanda tão extensa e que muitas vezes foi e ainda é invisibilidade pelos meios de comunicação. Contamos com a colaboração de todas e todos.

OBIRIN