Em fevereiro teve início as “Jornadas Negras de Formação Política”, uma realização da Rede de Mulheres Negras de Pernambuco, financiada pelo Fundo de Apoio a Organizações de Mulheres do SOS Corpo – Instituto Feminista para a Democracia. A aula inaugural foi realizada no auditório da Universidade Católica de Pernambuco. As mulheres Negras eram a maioria entre o público que conferiu a aula da doutora em educação, Denise Botelho.

A aula teve início com a fala de Piedade Marques, integrante da Rede. Piedade repassou a agenda da Jornada e afirmou que essas ações tem o objetivo de aproximar e fortalecer as mulheres negras que estão na luta diária contra o machismo e o racismo, sejam elas ou não participantes de organizações.

Piedade Marques abre a aula da Jornada. (Imagem: Rede de Mulheres Negras do PE)

Em seguida chegou a vez de Denise, que fez uma abordagem histórica sobre o racismo e apresentou exemplos sobre como ele se moldou ao longo do tempo e nos persegue até hoje. Por ter acontecido recentemente, o carnaval acabou se tornando um tema da discussão pôr conta das piadas machistas e as fantasias racistas de alguns foliões.

Denise Botelho, doutora em educação. (Imagem: Rede de Mulheres Negras do PE)

Um outro tema que acabou despertando bastante a atenção das mulheres que assistiam a aula foi como reagir a um ato racista/machista. Boa parte das mulheres disseram ficar sem ação diante da um ato de violência, principalmente pelo medo de sofrer violência física. A partir daí o diálogo passou a ser em torno da importância da fala e da ação sempre que possível, principalmente em espaços seguros.

As atividades da Jornada continuam em andamento. Segue a baixo a programação completa: