A maioria das meninas é criada para se preocuparem com o seu futuro marido. A maioria das crianças negras é criada para se preocuparem com a aparência, pois negros são “fora do padrão de beleza da sociedade”. Com Violet Jones (Sanaa Lathan) não foi diferente, ela sempre procurou ter a sua vida moldada na perfeição: cabelo perfeito, emprego perfeito, namorado perfeito, casa perfeita. Porém tudo desmorona quando seu namorado perfeito Clint (Ricky Whittle) não irá lhe pedir em casamento. Afinal de contas, ela foi criada para esperar por isso na vida: casar e viver feliz para sempre. Esse é apenas o primeiro conflito que Violet terá de enfrentar.

Diante desse choque, que Violet não esperava, ela sai para se divertir acaba bebendo muito e por impulso raspa toda a cabeça. Vendo-se fora dos “padrões exigidos pela sociedade quanto ao quesito beleza”, ela por ser gerente de vendas e trabalhar com marcas que reproduzem e sustentam a perfeição feminina, pede para fazer a propaganda de uma empresa de bebidas. Ela faz uma ótima apresentação. Contudo Violet se encontra em um ramo extremamente machista, perdendo sua proposta para homens, com estereótipo de brancos sexistas e egocêntricos.

Paralelo a isso tudo Violet conhece Zoe Wrigh (Daria Johns), uma garota negra que sofre pela ausência da mãe e vive com o pai, Will Wrigh (Lyriq Bent), que a ensina desde nova a se amar e ir contra o que toda mídia insiste em dizer a ela, que seu cabelo a deixa feia. Zoe é uma garota hiperativa e determinada, a princípio as duas não se identificam, fazendo inclusive com que Violet reproduza com Zoe comentários racistas, mas com uma convivência desenvolvida por um relacionamento entre Violet e Will, ela entende que Zoe tem muito a ensiná-la, mesmo com tão pouca idade.

Apesar de Violet estar aprendendo ao poucos a se libertar dos padrões na qual é criada, sua mãe Paulette Jones (Lynn Whitfield), insiste que o par perfeito para sua filha é um homem bem sucedido com uma “profissão de respeito”. Paulette é divorciada do pai de Violet, Richard Jones (Ernie Hudson), no filme não é especificado o motivo de serem separados, mas ele atualmente é um modelo de roupas íntimas, o que, para Paulette, não é uma profissão digna de um homem tido como perfeito. Por sua mãe ter esse conceito firme em sua mente, ao apresentá-la a Will, Violet não quer dizer a profissão exata dele por medo do julgamento de Paulette. Diante disso o relacionamento dos dois é rompido, e Violet se vê de volta ao seu ex-namorado, Clint.

Quando finalmente Clint a pede em casamento, Violet acredita estar finalmente realizando seu sonho, porém ele a pede para alisar seu cabelo a fim de deixar a noite do noivado perfeita. Mesmo atendendo ao pedido dele, Violet fica pensativa e crítica a esse tipo de comportamento e têm com sua mãe, um dos mais emocionantes diálogos do filme. O desfecho da noite se dá com todos caindo na piscina numa atitude inicial de Violet, quando várias mulheres negras não ousavam por anos ao terem que cumprir as normas do padrão de beleza, todas tinha cabelo crespo, mas alisados.

Algumas pessoas não iram conseguir perceber a grandeza que esse filme carrega, pois ele é mais do que apenas uma comédia romântica. Esse filme é sobre representatividade, é sobre empoderamento, é sobre padrões impostos pela sociedade que não abrange todas as belezas. Esse filme conta para mulheres negras que elas são lindas sim com seus cabelos crespos, seus traços grossos, com sua cor. Esse filme mostra a realidade de um povo que viveu e ainda vive dentro de padrões que não foram feitos para si e que precisam sacrificar sua liberdade para se encaixarem.

 

Por: Bia Carvalho