fbpx
Início Matérias Artesãs do Recife têm espaço para negociar seus produtos no Plaza Shopping

Artesãs do Recife têm espaço para negociar seus produtos no Plaza Shopping

Espaço temporário no Plaza Shopping vai estimular cadeia produtiva. A iniciativa vai reunir o trabalho de 24 artesãs e expor produtos como roupas, bijuterias, crochê e biscuit, comidas e objetos de decoração.

Foto: Daniel Tavares/PCR

A loja colaborativa Arte Delas começou a funcionar no dia 17 de julho, no Plaza Shopping, em Casa Forte. A iniciativa é da Secretaria da Mulher em parceria com o Gabinete de Projetos Especiais da Prefeitura do Recife, a Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (AD Diper), o Decoração para Você e o Plaza. O espaço reúne o trabalho de 24 artesãs que podem expor e vender produtos como roupas, bijuterias, crochê e biscuit, comidas e objetos de decoração.

Com a Pandemia é preciso encontrar soluções

“A pandemia da Covid-19 afetou fortemente o emprego e a renda das mulheres brasileiras. No Recife, temos tomado medidas para minimizar esses impactos. A loja Arte Delas é uma alternativa segura diante da crise sanitária, que visa impulsionar a rede de artesãs e complementar a renda dessas mulheres”, afirmou Glauce Medeiros, secretária da Mulher do Recife.

Nesse momento de pandemia, como frisou a secretária, é importante que o poder público ofereça apoio e soluções para que as artesãs da cidade tenham uma alternativa ao negócio virtual e possam ter um espaço de exibição e interação com o público, respeitando todas as normas sanitárias do município.

“É a realização de um sonho”

Todas as artesãs foram selecionadas para comercializarem na loja através de uma curadoria feita pelas secretarias da Mulher e da Cultura. A cidade possui uma Rede de Artesãs do Recife que permite às mulheres acesso e informações sobre feiras de artesanato, cursos, organização produtiva e gestão de negócios. Além de garantir estandes nas feiras, a secretaria também acompanha as mulheres. Apesar da suspensão das feiras devido à pandemia, 25 novas artesãs foram cadastradas nos últimos meses, totalizando 388 mulheres inscritas.

A artesã Flávia Lima trabalha com crochê moderno, criação de bolsas, cestos e cachepôs personalizados. “Eu amo o que faço e dedico muito carinho em cada ponto. É muito gratificante ver o resultado da mente criativa de uma artesã, e saber que essa atividade está sendo cada dia mais valorizada enche meu coração de alegria.”

Foto: Divulgação Ateliê Tia Crioula

Apesar de ter um espaço virtual já consolidado no Instagram (@atelietiacrioula), Flávia vê com bons olhos a experiência de administrar uma loja física e reforça a importância de mulheres da periferia ocuparem espaços elitizados como os shoppings. “Nós estamos aprendendo a gerenciar nosso próprio negócio, pois somos nós quem vendemos, abrimos e fechamos o caixa. É uma oportunidade ímpar para muitas de nós que, como eu, sou da periferia do Recife. A  prefeitura do Recife e o Plaza Shopping com essa parceria deram um aquecimento na economia. Porque muitas de nós não estávamos vendendo quase nada por causa da pandemia. Além de tudo isso, ajudou a realizar um sonho de ver nossas peças numa vitrine de um shopping, o que valoriza a nossa e o nosso trabalho.”

Ivson Henrique
Radialista de formação, tem seu legado baseado em produções relacionadas a questões étnico-raciais. Amante de esportes e produções audiovisuais que tratam sobre filosofia, existencialismo e tempo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.